fbpx

Em 1992 nas Olimpíadas especiais de Seattle nos Estados Unidos da América, nove portadores de deficiências mentais ou físicas iam disputar a prova dos ”100 metros”.

No momento da partida um dos atletas tropeçou, caiu com um grito imenso de dor e começou a chorar.

Apercebendo-se da situação, um a um os outros corredores abrandaram, pararam e voltaram para junto do rapaz prostrado no asfalto.

Depois, levantaram e auxiliaram o, até ali adversário, que havia ficado para trás, até à meta que acabaram por cruzar todos juntos exatamente ao mesmo tempo.

Nesse preciso instante, o público levantou-se e aplaudiu fervorosamente durante vários minutos.

Num mundo virado ao contrário que caminha a uma velocidade vertiginosa para uma sociedade cada vez mais individualista e até egoísta, acredito que a única forma de não matarmos a esperança de um lugar melhor para as próximas gerações, será reaprendermos e ensinarmos aos nossos filhos, o que dava uma força incalculável aos nossos país e avós que viveram numa era de muitas necessidades: o sentimento de que só juntos podiam “ir mais longe”.

Na vida como nas empresas, até porque as empresas são uma parte da vida, pôr em prática o provérbio africano, reformulado por Clarisse Lispector e sintetizado por Robinho Pirola é determinante para o sucesso: “Sozinhos vamos mais rápido. Juntos vamos mais longe.”

No âmbito das empresas modernas é determinante para o seu êxito, saber envolver e desenvolver os colaboradores, aumentando o seu sentido de compromisso, de responsabilidade e até de lealdade em relação aos objetivos da organização. É fundamental todos perceberem a importância de cada um.

Por outro lado, promover o sentido de realização pessoal e profissionalismo do colaborador e ao mesmo tempo motivar a cooperação e auto competição num quadro de evolução contínua, são a chave do sucesso de qualquer organização.

É que os valores e esforços quando partilhados são mutuamente enriquecedores e potenciadores de resultados verdadeiramente positivos.

As organizações bem-sucedidas reconheceram há muito a importância crescente das pessoas, a necessidade de comunicar e discutir as metas estratégicas com os colaboradores, orientando cada um nas sinergias que vai criar com os outros e maximizar a contribuição de cada elemento através do seu envolvimento e desenvolvimento.

Envolver ativamente uns e outros na partilha de valores, é definitivamente o melhor carburante para acelerar a velocidade da empresa em direção aos seus objetivos. Também é correto afirmar que longe vão os tempos em que as pessoas eram peças de uma mecânica, apenas interessando que fizessem e não que pensassem. Para os colaboradores libertarem todo o seu potencial é imprescindível uma aposta constante na formação técnica e pessoal do indivíduo, dando-lhe a oportunidade de evoluir e assim melhorar o seu desempenho e sentir-se mais feliz nas suas tarefas.

Tal como já foi dito, o que é verdade para as empresas também funciona no dia-a-dia, nas nossas vidas.

Tal como naquele dia nas Olimpíadas em Seattle, “sozinhos vamos mais rápido, mas juntos vamos mais longe.”, uma verdade válida para todos nós, seja onde for.