fbpx

Quando falamos em Prevenção, um dos princípios fundamentais é dar prioridade à proteção coletiva face à individual, tendo sempre presente que esta última só deverá ser equacionada se a eliminação do risco não for tecnicamente possível.

A proteção coletiva age ao nível da fonte do risco para proteger eficazmente qualquer pessoa que esteja exposta a esse risco.

Assim, os EPC – Equipamentos de Proteção Coletiva – são equipamentos utilizados para proteção de segurança enquanto um grupo de pessoas realiza determinada tarefa ou atividade.

Alguns exemplos de EPC são:

  • Painéis de isolamento acústico
  • Dispositivos de captação ou extração de gases perto da fonte emissora
  • Escadas com corrimãos
  • Guarda corpos

Já os EPI – Equipamentos de Proteção Individual – são destinados a serem usados pelo trabalhador para a sua proteção contra um ou mais riscos que possam ameaçar a sua segurança ou saúde no trabalho.

Desta forma, os EPI devem ser utilizados quando os riscos existentes não puderem ser evitados ou suficientemente limitados por meios técnicos de proteção coletiva ou por medidas, métodos ou processos de organização do trabalho.

Entre os EPI mais conhecidos, podemos destacar:

  • Luvas
  • Botas de proteção
  • Capacetes
  • Máscaras