fbpx

Atualmente, as empresas e os seus colaboradores, também, são confrontadas com diversas exigências nomeadamente, as que se referem à qualidade dos serviços prestados. Para poderem corresponder aos padrões de qualidade a que se propõem, as empresas que prestam serviços de transporte têm de conseguir manter ou superar a qualidade desses mesmos serviços e gerar elementos diferenciadores que contribuam para a empresa se destacar dos seus concorrentes e gerar mais valor para os seus clientes.

Estes desafios organizacionais são, para os motoristas profissionais, uma constante fonte de melhoria e adaptação. No portfólio das competências requeridas ao motorista profissional encontramos as competências relacionais. Neste grupo de competências incluem-se, de entre outras tantas, a capacidade de comunicar de forma assertiva.

Neste artigo, partilho algumas sugestões sobre como receber assertivamente as críticas. Perante situações em que recebemos uma crítica, por vezes perdemos a calma e reagimos de modo inapropriado, com comportamentos agressivos, passivos ou manipuladores. Qualquer um destes comportamentos é ineficaz, na medida em que provoca tensões no relacionamento interpessoal e não reduz os efeitos negativos consequentes.

De acordo com os princípios da afirmação pessoal, a agressividade, a passividade e a manipulação são comportamentos que podem ser alterados, contornados e ultrapassados, através do desenvolvimento de uma atitude assertiva na forma como comunicamos com os nossos interlocutores.

A assertividade assenta no estabelecimento de relações baseadas na confiança, no respeito por si próprio e pelos pontos de vista dos outros e na criação de soluções que satisfaçam os interesses de ambas as partes.

Aqui ficam várias sugestões para o ajudar a receber assertivamente as críticas que lhe fazem:

  • Aceitar que as outras pessoas pensam de forma diferente;
  • Reconhecer os seus pontos fracos e as suas limitações. Isto vai ajudá-lo a aceitar alguns dos seus comportamentos que podem incomodar as outras pessoas;
  • Escutar e deixar a outra pessoa falar evitando interromper;
  • Evitar colocar-se “na defensiva”, justificar-se ou contra-atacar. Cada crítica é uma fonte de informação;
  • Recusar ser categorizado (“isso é a tua opinião”);
  • Pedir pormenores específicos e rejeitar críticas vagas. Isto permite-lhe discernir se a outra pessoa está a referir factos ou opiniões;
  • Distinguir pontos de acordo e de desacordo, principalmente em relação aos factos e à interpretação desses factos;
  • Demonstrar que compreendeu a crítica;
  • E… respirar!